domingo, 11 de setembro de 2011

Desenvolvimento do marsupiais, audição e salto do canguru

por Fabio Dias Magalhães
texto de apoio para Curso Por Dentro

Assista o vídeo abaixo e depois leia os comentários.

Os mamíferos são divididos em Prototérios (ornitorrinco, mamifero ovíparo), Metatérios (marsupiais) e eutérios (mamíferos com placenta bem desenvolvida).
Os Marsupiais apresentam curto tempo de gestação no útero e o desenvolvimento é completado em uma bolsa chamada marsúpio.
No marsúpio, o animal se alimenta de leite. A constituição desse leite muda a cada passo do desenvolvimento do marsupial.
Abaixo, marsupial se alimentando no marsúpio.

Além de ter um filhote no marsupio, a mãe canguru pode amamentar outro fora do marsúpio e, ainda, apresentar um embrião em estado de diapausa, ou seja, com desenvolvimento paralisado e podendo ser reiniciado.




O Tendão e o Salto do Canguru
O tendão do canguru tem grande concentração de fibras elásticas. Isso permite acúmulo de energia potencial elástica quando ele entra em contato com o solo no salto. Assim, essa energia é utilizada para o novo salto.


Olhe, no detalhe da figura e nas setas, que no contato o  tendão dilata, e subsequentemente se contrai,o que permite o próximo salto:

Audição
A audição no mamífero ocorre graças a pequenos ossos associados ao ouvido.  A vibração da membrana timpânica move esses ossículos (martelo, bigorna  e estribo) e esses transferem essa vibração para cóclea.

Na cóclea, dentro de uma estrutura chamada de órgão de Corti,  existem células sensórias ciliadas que percebem as vibrações e transmitem essas informações para neurônios aferentes. Analise a figura abaixo:

Veja acima, na letra D, o órgão de Corti. Note as células ciliadas ( "hair cells") associadas ao nervo auditivo ("nerve"). 

Perceba que o mecanismo do órgão de Corti  é muito semelhante àquele da linha lateral, em que células ciliadas (neuromastos) percebem vibrações e transmitem essa informação para neurônios. Tratamos desse assunto AQUI.


Um comentário:

O que você quer ver no blog da Sala BioQuímica?