sábado, 6 de fevereiro de 2016

Inscrições abertas para salinha de biologia!



Começam em  março as aulas da  salinha de biologia, com  preparo integrado para o ENEM e outros vestibulares.
No dia 12/02 e 13/02 haverá aula  inaugural gratuita com simulado: Integrando a preparação - o ENEM e os outros vestibulares. Tanto a aula sexta 12/02, quanto a reprise no sábado 13/02, ocorrerá  de 14 as 17h.

As inscrições podem ser feitas em salabioquimica@gmail.com ou pelo cel/whatsapp 91954606.

Outras aulas temáticas serão marcadas ao  longo do mês de fevereiro.


As aulas ocorrerão no  no ed. Maletta, rua da Bahia, n  1148 , sala 1728.



Conheça alguns dos aprovados da sala clicando AQUI.

Conheça mais da  sala BioQuímica clicando AQUI.

Você também por estudar alguns  temas de  vestibular nesse blog, organizados AQUI.

sábado, 30 de janeiro de 2016

Genética Molecular e o ENEM



Genética é um dos temas mais recorrentes no ENEM e outros vestibulares. Trataremos aqui de conceitos fundamentais da genética molecular aplicados ao ENEM e outros vestibulares.

Primeiro revisaremos rapidamente alguns conceitos, para depois aplicarmos às questões.

Vamos aos fundamentos!

O Gene: o que ele faz,onde ele se encontra e como ele é transmitido ?

Simplificadamente, gene é um trecho de DNA  que expressa proteinas. Assim, mutações nos genes causam alterações nas proteínas.  Nos procariotos, o DNA é disperso no citoplasma,  e  é circular.  Nos eucariotos, encontramos DNA linear no núcleo,formando os cromossomos, e DNA circular nos cloroplastos e mitocôndrias,o que evidencia a ancestralidade bacteriana dessas duas  organelas.  Cromossomos são formados de DNA e proteínas,e o ser humano apresenta 46, vinte  e  tres transmitidos por cada gameta no momento da fecundação. Importante saber que  o DNA mitocondrial é de transmissão exclusivamente materna.

A esquerda DNA linear (exclusivo dos eucariotos) e a  direita o DNA circular (presente em bactérias, mitocondrias e cloroplastos). Observe que o DNA mais as histonas forma o  cromossomo.

Cariótipo humano,  ou seja,fotografia  dos 46 cromossomos humanos organizados par a par. Observe no canto inferior direito os cromossomos X e Y,indicando que se trata de sexo biológico masculino.


Cariótipo de uma mulher com síndrome de  Down causada por uma trissomia do 21 (veja no círculo).  Erros na meiose podem produzir gametas com cromossomos a mais ou a menos. Chamamos de aneuploida as variações numéricas de cromossomos, como as trissomias (3 cromossomos quando o normal seria um par) e monossomias (um cromossomo ao invés de um par).




O DNA tem duas propriedades: ele transcreve e replica.Não  confunda os dois processos, eles tem finalidades diferentes!   A transcrição  é a primeira  etapa da  síntese proteica enquanto que a replicação permite que a célula se  divida em duas  que receberam cada uma material  genético.

A síntese de proteínas tem duas etapas: transcrição, na qual RNA é produzido a partir de DNA, e tradução, na qual a proteína é produzida a partir das informações do  RNA. A tradução ocorre nos ribossomos  e obedece a  um  código genético que é o mesmo entre todos os  seres vivos, evidencia da ancestralidade comum de tudo o que é vivo.
Acima, as duas propriedades do DNA: transcrição e duplicação. Note que o RNA produzido na transcrição tem a informação para a tradução  da proteína.




Acima, a trancrição. A partir de um molde de  DNA, uma fita simples de RNA é produzida, processo mediado  pela enzima RNA polimerase, também chamada de transcriptase. Veja a transcrição no gif abaixo:







Observe, acima, que o RNAm se liga ao ribossomo, local da  síntese de proteínas. Organismos transgênicos apresentam genes exógenos, artificialmente introduzidos para que esses produzam  proteínas de interesse humano, como insulina.


Sintese proteica em eucariotos

Na célula eucariota, encontramos  ribossomos livres no citoplasma,outros ligados  ao retículo endoplasmático, e outros ainda nas mitocôndrias e cloroplastos. Os ribossomos dessas duas últimas organelas [é semelhante ao de bactérias, inclusive sensíveis a certos antibióticos, outra evidencia de suas origens bacterianas. Enquanto os  ribossomos livres  produzem proteínas para uso da própria célula ( como enzimas e citoesqueleto), os  ribossomos do retículo endoplasmático rugoso sintetizam proteínas que são enviadas via  vesículas ao complexo de Golgi, que dará três destinos a essas proteínas: 1) serão glicosiladas e enviadas para membrana plasmática,  formando o glicocálice. 2) Serão enviadas para fora da célula, como secreção. 3) serão enzimas presentes nos lisossomos.


O complexo de Golgi recebe vesículas  com proteínas produzidas pelo retículo endoplasmático rugoso, podendo modificá-las e concentra essas proteínas em vesículas que serão exportadas, como  secreção...


...ou ainda as proteínas exportadas  podem se manter ligadas a membrana plasmática, como no caso de glicoproteínas do glicocálice.



A diferença de distribuição de organelas, dentre outras coisas, é uma das características dos vários tecidos. Mas o que causa essa diferenciação?
Todas as células  humanas descendem de um mesmo zigoto, tendo  por isso os mesmos DNAs. O que diferenciará uma célula da outra é a expressão de certos  genes e inibição de outro. Por exemplo, o neurônio tem o gene inativo para produção de amilase salivar.






Analisando questões do ENEM 


1) ENEM 2015 A cariotipagem é um método que analisa células de um indivíduo para determinar seu padrão cromossômico. Essa técnica consiste na montagem fotográfica, em sequência, dos pares de cromossomos e permite identificar um indivíduo normal (46, XX ou 46, XY) ou com alguma alteração cromossômica. A investigação do cariótipo de uma criança do sexo masculino com alterações morfológicas e comprometimento cognitivo verificou que ela apresentava fórmula cariotípica 47, XY, +18.
A alteração cromossômica da criança pode ser classificada como
a) estrutural, do tipo deleção.
b) numérica, do tipo euploidia.
c) numérica, do tipo poliploidia.
d) estrutural, do tipo duplicação.
e) numérica, do tipo aneuploidia.

Comentário:
A alteração cromossômica é numérica (chamada de  aneuploida), existe um cromossomo a mais, o dezoito.  Não é estrutural pois o cariótipo não apontou para nenhuma alteração na constituição de um cromossomo específico (nem deleção ou duplicação, excluido-se as letras a e d). Euploida e poliploida são termos correspondentes, nos quais não apenas um cromossomos, mas lotes inteiros de cromossomos são alterados.

2)Um importante princípio da biologia, relacionado à transmissão de caracteres e à embriogênese humana, foi quebrado com a descoberta do microquimerismo fetal. Microquimerismo é o nome dado ao fenômeno biológico referente a uma pequena população de células ou DNA presente em um indivíduo, mas derivada de um organismo geneticamente distinto. Investigando-se a presença do cromossomo Y, foi revelado que diversos tecidos de mulheres continham células masculinas.
A análise do histórico médico revelou uma correlação extremamente curiosa: apenas as mulheres que antes tiveram filhos homens apresentaram microquimerismo masculino. Essa correlação levou à interpretação de que existe uma troca natral entre células do feto e maternas durante a gravidez.
MUOTRI, A. Você não é só você: carregamos células maternas na maioria de nossos órgãos. Disponível em: http://g1.globo.com. Acesso em: 4 dez. 2012 (adaptado).
O princípio contestado com essa descoberta, relacionado ao desenvolvimento do corpo humano, é o de que
a) o fenótipo das nossas células pode mudar por influência do meio ambiente.
b) a dominância genética determina a expressão de alguns genes.
c) as mutações geneticas introduzem variabilidade no genoma.
d) as mitocôndrias e o seu DNA provêm do gameta materno.
e) as nossas células corporais provêm de um único zigoto.
Comentários:

Todas nossas células vem de um único zigoto, e apresentam, por isso , o mesmo DNA, os mesmos 46 cromossomos. Vimos na questão acima que existem casos excepcionais em que o indivíduo apresenta  mais ou menos que 46 cromossomos (aneuploidias). Já nessa questão temos uma outra situação de exceção: a mãe recebeu células do filho,  e apresenta, por isso células como cromossomo Y, sendo  um exemplo de microquimerismo (evento no qual um indivíduo hospeda células de outro indivíduo) . As letras a,b,c e d apresentam princípios biológicos verdadeiros, mas que não  foram contestados pelo evento do microquimeirismo. 


3)ENEM 2015 A palavra “biotecnologia” surgiu no século XX, quando o cientista Herbert Boyer introduziu a informação responsável pela fabricação da insulina humana em uma bactéria, para que ela passasse a produzir a substância.
Disponível em: www.brasil.gov.br Acesso em 28 jul 2012 (adaptado)
As bactérias modificadas por Herbert Boyer passaram a produzir insulina humana porque receberam
a) a sequência de DNA codificante de insulina humana.
b) a proteína sintetizada por células humanas..
c) um RNA recombinante de insulina humana..
d) o RNA mensageiro de insulina humana.
e) um cromossomo da espécie humana.

Comentários:
Um organismo transgênico apresenta genes exógenos o que os permitem produzir proteínas de interesse humano. Assim a letra a) A sequencia de DNA codificante de insulina humana é a correta. O organismo transgênico não recebe um  cromossomo inteiro e nem apenas a proteina (já que o seu objetivo é produzir a proteina!). O RNA apresenta informação para sintese proteica, mas ele não é estável  e nem se duplica, nao sendo transmitido  para células filhas. Compare com a questão do ano anterior: 

4) ENEM 2014 Em um laboratório de genética experimental, observou-se que determinada bactéria continha um gene que conferia resistência a pragas específicas de plantas. Em vista disso, os pesquisadores procederam de acordo com a figura.
Do ponto de vista biotecnológico, como a planta representada na figura é classificada?

a) Clone
b) Híbrida
c) Mutante
d) Adaptada
e) Transgênica

Resposta:
Questão de conceito de transgênico,  organismo que apresenta  gene exógeno, letra E.




5) ENEM 2015 2a aplicação  Um gel vaginal poderá ser um recurso para as mulheres na prevenção contra a aids. Esse produto tem como princípio ativo um composto que inibe a transcriptase reversa viral. Essa ação inibidora é importante, pois a referida enzima
 A) corta a dupla hélice do DNA, produzindo um molde para o RNA viral. 
B) produz moléculas de DNA viral que vão infectar células sadias. 
C) polimeriza molécula de DNA, tendo como molde o RNA viral. 
D) promove a entrada do vírus da aids nos linfócitos T. 
E) sintetiza os nucleotídeos que compõem o DNA viral.
Resposta:
Como vimos, a transcrição é a etapa na qual do DNA é molde para produção de RNA, processo mediado pela enzima transcriptase. O HIV é um virus de RNA que a partir de uma transcrição reversa produz DNA,  por ação da enzima transcriptase reversa. Letra E.
6)ENEM 2015 O formato das células de organismos pluricelulares é extremamente variado. Existem células discoides, como é o caso das hemácias, as que lembram uma estrela, como os neurônios, e ainda algumas alongadas, como as musculares.
Em um mesmo organismo, a diferenciação dessas células ocorre por
a) produzirem mutações específicas.
b) possuírem DNA mitocondrial diferentes.
c) apresentarem conjunto de genes distintos.
d) expressarem porções distintas do genoma.
e) terem um número distinto de cromossomos.

Comentários:
Voltemos ao princípio biológico tratado na questão 2: as nossas células corporais provêm de um único zigoto. Por consequencia, as células de um indivíduo tem mesmo DNA, e o que produzirá tecidos com células diferentes é a expressão diferencial de genes do DNA nuclear, letra D
A diferenciação celular é algo organizado,  não resulta, por isso,de mutações (exclui-se a letra A). Letras B,C e E estão incorretas por admitirem que um indivíduo em células com DNA diferente (a questão anterior tratava de uma  exceção,  esse não é  um padrão). 

7  ENEM 2015  Muitos estudos de síntese e endereçamento de proteínas utilizam aminoácidos marcados radioativamente para acompanhar as proteínas, desde fases iniciais de sua produção até seu destino final. Esses ensaios foram muito empregados para estudo e caracterização de células secretoras. Após esses ensaios de radioatividade, qual gráfico representa a evolução temporal da produção de proteínas e sua localização em uma célula secretora?


Comentários:
Nos eucariotos, encontramos ribossomos, dentre outros locais, no retículo endoplasmático rugoso. As proteínas ai produzidas são enviadas para complexo de Golgi, que concentra essas proteínas em vesículas de secreção. Assim, o transito de proteína se dá no sentido Reticulo endoplasmático para o complexo de Golgi e dele para vesículas de secreção. O gráfico adequado a esse trânsito é o da letra C:

Ainda sobre organelas, veja a questão que se segue:


8) ENEM 2013 Uma indústria está escolhendo uma linhagem de microalgas que otimize a secreção de polímeros comestíveis, os quais são obtidos do meio de cultura de crescimento. Na figura podem ser observadas as proporções de algumas organelas presentes no citoplasma de cada linhagem.
Figura (Foto: Reprodução)(Foto: Reprodução)
Qual é a melhor linhagem para se conseguir maior rendimento de polímeros secretados no meio de cultura?
  1. A
     
    I
  2. B
     
    II
  3. C
     
    III
  4. D
     
    IV
  5. E
     
    V
Comentários:
O termo chave da questão é "secretados". Como visto na questão anterior, o complexo de Golgi tem a função de exportação de substâncias. Assim a linhagem com maior porcentagem dessa organela.




9. ENEM 2013 Na década de 1990, células do cordão umbilical de recém-nascidos humanos começaram a ser guardadas por criopreservação, ema vez que apresentam alto potencial terapêutico em consequência de suas características peculiares.
O poder terapêutico dessas células baseia-se em sua capacidade de

a) multiplicação lenta
b) comunicação entre células
c) adesão a diferentes tecidos
d) diferenciação em células especializadas
e) reconhecimento de células semelhantes

Comentários:
O zigoto, célula resultante da fecundação,se divide e inicia-se o processo da embriogênese. A além de mitoses, ocorre também no processo a diferenciação celular, assim como troncos de uma  árvore originam galhos:
 As células tronco são indiferenciadas e tem, por isso, capacidade de se diferenciar em células especializadas. Podem ser por isso usadas terapeuticamente, por exemplo, na reposição de  tecidos perdidos,ou produção de órgãos, com menor risco de rejeição.LETRA D

10. ENEM 2013 Segundo a teoria evolutiva mais aceita hoje, as mitocôndrias, organelas celulares responsáveis pela produção de ATP em células eucariotas, assim como os cloroplastos, teriam sido originados de procariontes ancestrais que foram incorporados por células mais complexas.
Uma característica da mitocôndria que sustenta essa teoria é a

a) capacidade de produzir moléculas de ATP
b) presença de parede celular semelhante à de procariontes
c) presença de membranas envolvendo e separando a matriz mitocondrial do citoplasma
d) capacidade de autoduplicação dada por DNA circular próprio semelhante ao bacteriano
e) presença de um sistema enzimático eficiente às reações químicas do metabolismo aeróbio

Comentários:
Todas as letras apresentam sentenças corretas em relação a mitocondria (excetuado a b, já que a organela não tem parede). Mas apenas a letra D apresenta evidencia que suporta  a origem bacteriana referida.


11 ENEM 2013 A estratégia de obtenção de plantas transgênicas pela inserção de transgenes em cloroplastos, em substituição à metodologia clássica de inserção do transgene no núcleo da célula hospedeira, resultou no aumento quantitativo da produção de proteínas recombinantes com diversas finalidades biotecnológicas. O mesmo tipo de estratégia poderia ser utilizada para produzir proteínas recombinantes em células de organismos eucarióticos não fotossintetizantes, como as leveduras, que são usadas para produção comercial de várias proteínas recombinantes e que podem ser cultivadas em grandes fermentadores.
Considerando a estratégia metodológica descrita, qual organela celular poderia ser utilizada para inserção de transgenes em leveduras?
  1. A
     
    Lisossomo.
  2. B
     
    Mitocôndria.
  3. C
     
    Peroxissomo.
  4. D
     
    Complexo golgiense.
  5. E
     
    Retículo endoplasmático.

Comentários
Apenas a mitocondria,das organelas citadas, apresenta materia genético,podendo por isso receber transgenes que serão incorporados nesse DNA prévio. LETRA B


12 Para a identificação de um rapaz vítima de acidente, fragmentos de tecidos foram retirados e submetidos à extração de DNA nuclear, para comparação com o DNA disponível dos possíveis familiares (pai, avô materno, avó materna, filho e filha). Como o teste com o DNA nuclear não foi conclusivo, os peritos optaram por usar também DNA mitocondrial, para dirimir dúvidas.
Para identificar o corpo, os peritos devem verificar se há homologia entre o DNA mitocondrial do rapaz e o DNA mitocondrial do(a)
  1. A
     
    pai.
  2. B
     
    filho.
  3. C
     
    filha.
  4. D
     
    avó materna.
  5. E
     
    avô materno.

Comentários:
O DNA mitocondrial é marcador da herança materna. Assim, o rapaz em questão não transmitirá esse DNA para sua filha e nem recebeu do seu pai (o que exclui A,B , C e E). Ele recebeu as mitocondrias de sua mãe (opção inexistente) e  essa da avó do rapaz. Letra D.

Conclusões

Vemos em todas as questões uma ênfase nos conceitos (gene, diferenciação,  por ex), aplicações desses conceitos (transgênicos e células tronco) e algumas  exceções (microquimerismo, em uma questão interpretativa), o que justifica o nome Ciências da natureza E suas tecnologias. Perceba que um mesmo tema se repete nas provas em questões geralmente mais fáceis( conceituais) e outras mais difíceis ( interpretativas).
.

sábado, 16 de janeiro de 2016

Integrando a preparação: ENEM e os outros vestibulares

por Prof. Fabio Dias Magalhães
(Biólogo pela UFMG e acadêmico de Medicina pela mesma universidade)


Preparar-se para o vestibular é,  fundamentalmente, fazer questões, muitas.  Mas quais questões fazer?

Dois erros  são muito comuns entre vestibulandos. O primeiro é se preparar apenas para o ENEM, fazendo apenas questões antigas do Exame Nacional do Ensino Médio ou outras, "tipo ENEM".  O outro erro é decidir-se por não fazer ou não se dedicar ao exame do MEC, e estudar apenas por questões de  vestibulares das faculdades com vestibular próprio (UERJ, UNICAMP,  UEMG e particulares, etc). O objetivo desse texto é tratar desses erros, propondo uma preparação integrada para esses vestibulares. Vamos começar pelo segundo.


Por que fazer o ENEM?

1) O ENEM é a principal porta de entrada para as universidades, sejam públicas, pelo SISU, ou particulares (como vestibular ou seleção de  bolsas via PROUNI). Não fazer a prova é  reduzir muito suas chances de aprovação.

2)As matérias do ENEM são também dos outros vestibulares, ou  seja,  os conteúdos do ensino médio.  As abordagens pode ser diferentes,  outros  temas podem existir,  mas o núcleo básico é o mesmo:o ensino médio.

Não se  prepare  apenas para o ENEM

Todo vestibular é composto de,  na sua maioria, questões antigas reformuladas e outras poucas  "inéditas" para aquele  vestibular,  Entretanto, se um item foi aparentemente novo para o vestibular de uma faculdade, geralmente não é de fato novo, pensando em vestibulares de outras faculdades. Assim, o  vestibulando que treina para a UERJ deve fazer as questões  antigas dessa  universidade, mas também resolver questões de universidades com UNICAMP e outras.

Assim, na preparação para o ENEM,  o vestibulando deve fazer questões antigas do exame, mas também questões de outras universidades, para não ter surpresas no dia da prova.  Deve-se levar ainda em conta que a cada ano o ENEM tem se aproximado dos vestibulares tradicionais.

Além da questão do conteúdo,  fazer outros vestibulares permite treinamento constante, reduz a  ansiedade sobre  o  ENEM ( que deixa de ser uma aposta única) e aumenta as chances de aprovação em alguma faculdade.


Integrando a preparação

Recapitulando:

Os temas do vestibular são, fundamentalmente, aqueles do ensino médio e, por isso, serão encontrados no Exame Nacional do Ensino Médio, representados no retangulo abaixo:



Entretanto, os vestibulares não-ENEM tem abordagens e  temas próprios. Por exemplo, respiração celular é dada com detalhes na UERJ. Mas perceba que TODOS os temas do ENEM estão incluídos nos outros vestibulares, como ecologia, parasitologia, etc:



Existe um fluxo entre os compartimentos, temas nunca antes abordados no ENEM,mas comuns  a outros vestibulares, podem ocorrer no primeiro.



Assim, o treino de questões deve integrar vários  tipos de vestibulares, e não ser apenas  específico. Treinos específicos, baseados apenas em questões antigas, são incompletos e não protegem os alunos de surpresas, de questões novas para aquela faculdade.

O vestibulando deve estudar por temas através de vários vestibulares. Por exemplo, estudar citologia e resolver questões de diversos vestibulares  sobre  esse assunto. É  a construção dessa base que fará a diferença na  aprovação. Isso se verifica na história da grande maioria dos aprovados em medicina, que geralmente  acumulam vitórias não em apenas em um vestibular, mas em vários,



Estudos de caso

Para mostrar a influencia de outros vestibulares sobre o ENEM, colei abaixo  2 conjuntos de questões, o primeiro sobre válvulas venosas e o segundo sobre o fluxo de proteínas em  organelas.

                                                                      1)Veias valvuladas

A)(FUVEST 2007) As figuras abaixo ilustram um experimento realizado por William Harvey, cientista inglês do século XVII, que desvendou aspectos importantes da circulação sanguínea humana. Harvey colocou um torniquete no braço de uma pessoa, o que fez certos vasos sanguíneos tornarem-se salientes e com pequenas protuberâncias globosas (Fig. 1). Ele pressionou um vaso em um ponto próximo a uma protuberância e deslizou o dedo em direção à mão (de O para H na Fig. 2) de modo a espremer o sangue. O vaso permaneceu vazio de sangue entre O e H, enquanto a pressão sobre esse último ponto foi mantida.
a) 1. Que vasos sanguíneos estão mostrados nos desenhos do experimento de Harvey? 2. Por que eles se tornaram salientes com a colocação do torniquete? b) Por que o vaso permaneceu vazio, entre a protuberância O e o ponto H, enquanto a pressão sobre esse último ponto foi mantida?


B)(Enem/2013) A imagem representa uma ilustração retirada do livro De Motu Cordis, de autoria do médico inglês William Harvey, que fez importantes contribuições para o entendimento do processo de circulação do sangue no corpo humano. No experimento ilustrado, Harvey, após aplicar um torniquete (A) no braço de um voluntário e esperar alguns vasos incharem, pressionava-os em um ponto (H). Mantendo o ponto pressionado, deslocava o conteúdo de sangue em direção ao cotovelo, percebendo que um trecho do vaso sanguíneo permanecia vazio após esse processo (H-O). 
Disponível em: www.answers.com. Acesso: 18 dez. 2012 (adaptado)
A demonstração de Harvey permite estabelecer a relação entre circulação sanguínea e 
A) pressão arterial
B) válvulas venosas
C) circulação linfática
D) contração cardíaca
E) transporte de gases








Respostas:
Questão UERJ
a) 1. Que vasos sanguíneos estão mostrados nos desenhos do experimento de Harvey?R: Veias
2. Por que eles se tornaram salientes com a colocação do torniquete?
R: Os vasos tornam-se salientes porque, neles, o torniquete impede o retorno do sangue venoso para o coração
 b) Por que o vaso permaneceu vazio, entre a protuberância O e o ponto H, enquanto a pressão sobre esse último ponto foi mantida?
R:  Uma válvula presente no ponto O impede o refluxo de sangue venoso até o ponto H. Por outro lado, enquanto houver pressão do dedo sobre o ponto H, o fluxo do sangue no sentido do coração permanecerá interrompido no trecho considerado.

Questão ENEM
 B) válvulas venosas
                                                               

2) Questões sobre trânsito de proteínas


A)(UERJ 2011) É possível marcar determinadas proteínas com um isótopo radioativo, a fim de rastrear sua passagem através da célula, desde a síntese até a secreção. O gráfico abaixo ilustra o rastreamento da passagem de uma proteína marcada radioativamente por três compartimentos celulares.

 Indique a sequência do percurso seguido por essa proteína através dos três compartimentos celulares citados e a função de cada um dos compartimentos durante o percurso.


B)(ENEM 2015) Muitos estudos de síntese e endereçamento de proteínas utilizam aminoácidos marcados radioativamente para acompanhar as proteínas, desde fases iniciais de sua produção até seu destino final. Esses ensaios foram muito empregados para estudo e caracterização de células secretoras. Após esses ensaios de radioatividade, qual gráfico representa a evolução temporal da produção de proteínas e sua localização em uma célula secretora?






A)Comentários da UERJ:
Nos ribossomos aderidos às membranas do retículo endoplasmático granular (REG), ocorre a síntese das proteínas. No início do rastreamento apresentado no gráfico, é neste compartimento que foram contados os maiores valores de radioatividade. O complexo golgiense (CG) recebe essas proteínas provenientes do REG e, por isso, é o compartimento seguinte a apresentar aumento na contagem de radioatividade, que, por sua vez, diminui no REG. Em seguida, o CG modifica, concentra e/ou empacota as proteínas e as encaminha, envolvidas em vesículas de secreção (VS), para fora da célula. Por isso, no gráfico, estes compartimentos são os últimos a terem a contagem de radioatividade aumentada. Quando as vesículas se aproximam da membrana plasmática, elas se fusionam com esta membrana, liberando sua carga, isto é, as proteínas.

B)Resposta questão ENEM: C



Trabalharemos em sala os temas de biologia e como eles são cobrados nos diversos vestibulares, em uma preparação integrada. O curso inicia-se em fevereiro. Inscrições em salabioquimica@gmail.com.br ou  whatsapp/ cel 91954606

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Estudando o reino animal e o filo cordados: Anotações para os alunos do G8

Caros alunos do G8,

Vimos em salaa aula " A evolução dos cordados". Abaixo coloco vídeos e textos  sobre alguns dos temas que tratamos:


1) Video O surgimento e a importância  da notocorda

Outro video

2)Video a conquista da Terra pelos vertebrados


3)O surgimento e a importância da mandíbula

Vídeo: A evolução da mandíbula

Outro video sobre mandibula

4)  Peixes pulmonados

Video de peixe pulmonado

5)O surgimento e a importância do âmnio

Texto: Anexos embrionários


6)Video: A evolução do vôo


Utilize, ainda, para estudar zoologia, o texto-revisão com links:

Como estudar a zoologia?


Qualquer dúvida me procurem por email (salabioquimica@gmail.com) ou whatsapp 91954606.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Intensivo de agosto:a partir de 11 de agosto e aulas iniciais


Iniciaremos na semana que vem o intensivo de agosto, com 3 turmas : segunda (18 as 20:45), sexta (14-17:00) e sábado (9-12:00). Aproveitamos, no início do 2o semestre a sala oferecerá várias aulas:



domingo, 3 de maio de 2015

Começa o curso Por Dentro!


Essa semana começa o curso Por Dentro. São vários os temas do curso: Fisiologia, zoologia, botânica, parasitologia, microbiologia,embriologia, histologia... mas todos eles ligados ao eixo Corpo.  Poderia ser chamado de A biologia a partir do corpo: funções e disfunções e comparação de corpos animais e vegetais.   Mais do que aulas teóricas, é um curso de treinamento pesado de questões fechadas e abertas, com foco em fundamentação e aprofundamento, e não apenas em um vestibular em especial.  A lista de questões contempla provas da PUC, ciências médicas, ENEM, UNICAMP, UERJ. E partimos do principio que uma boa preparação nunca é específica e limitada: um aluno bem preparado está pronto para qualquer vestibular.


Os grandes temas do curso:
Sistema circulatório (Aula inaugural)
Embriologia
Tecidos
Pele
Defesas do corpo
Nervoso
Endócrino
Músculoesquelético
Respiratório
Excretor
Digestório
Reprodutor
Integração de sistemas: Revisão do curso Por Dentro

As aulas sempre extrapolam esses temas, tratando das doenças nutricionais, genéticas e infecciosas ligadas a cada sistema, além da comparação de animais e plantas quanto aos temas circulação, defesa, tecidos, reprodução.

O curso tem duração de 3 meses.  Em Agosto inicia o curso Ambiente e Saúde, com foco em ecologia/parasitologia/epidemiologia.


quinta-feira, 30 de abril de 2015

Controle (e descontrole) do pH sanguíneo

O potencial hidrogeniônico ( pH)  é uma escala logaritmica relacionada a concentração de hidrogênio de certo ambiente, representada pela equação:


Considerando o H+ reage com a água, formando  hidrônio (H3O+):

H2O+ H+ H3O


podemos considerar também a equação:



A escala de pH varia de zero (mais ácido, menos básico)  a  quatorze (menos ácido, mais básico).O pH7 é considerado neutro:


O pH é uma condição abiótica importante porque ele influencia na atividade enzimática, havendo valores ótimos para ação da enzima. Acima ou abaixo desse pH ótimo a enzima é desnaturada, perdendo sua função:

O pH ótimo varia para cada enzima, sendo por volta de 2 para a pepsina ( que age no estômago); 7,5 para ptialina (amilase salivar) e 8 para a tripsina (que age no intestino):


Como é uma escala logaritmica, o pH zero se refere a 100  mol de H3O+/L, ou seja, 1 mol de H+ por litro. Equanto pH 14 se refere a 10-14 mol H+/L, ou seja, 0,00000000000001 mol H+/L. 
Levando isso em conta, temos a escala pH com as concentrações de H3O+ do meio:

Perceba que a chuva natural é ácida.  Isso ocorre porque o dióxido de carbono, que é um óxido ácido,  reage com a água, produzindo ácido carbônico:

CO2 (g) + H2(l) → H2CO3 (aq)

O ácido carbônico se ioniza formando proton e bicarbonato:

H2CO3 (aq) → H+ (aq) + HCO3- (aq)

Assim, a reação do CO2 com água produz a chuva naturalmente ácida:


É por conta desse efeito, que o aumento da pressão parcial de CO2 atmosférico pode levar a acidificação de corpos de água, danificando estruturas calcárias como conchas:
Na figura acima, 1)CO2 é dissolvido; 2) Formação de ácido carbônico; 3)Formação de H+, acidificando o meio ( e liberação de carbonato, base conjugada do bicarbonato).



O pH do sangue tem caráter básico, variando de 7,35 a 7,45, sendo o sangue venoso mais ácido que o arterial por conta da maior concentração de CO2.   A redução do pH sanguíneo para abaixo de 7,35 é chamada de acidose, enquanto que a elevação para acima de 7,45 é uma alcalose, ambos processos anormais e com mais de uma causa.




Respiração Celular e Ventilação alteram o pH sanguíneo


Para entendermos como se dá o controle do pH sanguíneo devemos levar  em conta que ele é influenciado pela taxa de CO2 que, como ja falado, é um óxido ácido.  Os locais onde o CO2 do sangue é aumentado, como nos músculos, o pH é baixo, ou seja, esse é um microambiente mais ácido. Já nos alvéolos, nos quais há redução da concentração de CO2, o pH é  aumentado, sendo o microambiente alveolar mais alcalino que o muscular. 

Na figura abaixo: a ventilação reduz o CO2 e a respiração celular aumenta o CO2 do sangue, atividades que influenciam o pH sanguineo.

Enquanto que o oxigênio é transportado pelas hemácias, o dióxido de carbono é transportado principalmente pelo plasma, convertendo-se nele em bicarbonato, em uma reação reversível:

CO2 + H2O↔ H2CO3 ↔HCO3 + H+


Sendo uma reação reversível, ela obedece ao principio de Le Chatelier, que diz: 

"quando se exerce uma ação num sistema em equilíbrio (variação de pressão, temperatura, concentração), o sistema se desloca no sentido da reação que neutraliza esta ação."

Isso é a base para  entendermos o comportamento desse sistema de reações nos dois ambientes diferentes: no tecido muscular e nos alvéolos.

A respiração celular ocorrida no tecido muscular libera e aumenta a concentração local de CO2. Segundo o princípio de Le Chatelier, o sistema desloca-se no sentido de neutralizar a alteração. O seja, o excesso de CO2 desloca o equilíbrio no sentido de formação de ácido carbônico e, consequentemente, prótons e bicarbonato:


Assim, o microambiente do tecido muscular é mais ácido, por exemplo, que o do alvéolo. E o CO2 é convertido em bicarbonato e transportado pelo plasma. Essa reação é catalisada pela enzima anidrase carbônica, da hemácia:

Acima, anidrase carbônica aumenta a velocidade de conversão do dióxido de carbono e água em bicarbonato e H+ (perceba que ela também catalisa o processo oposto).

Já no alvéolo, ocorre a diminuição da concentração de CO2, retirado pelo evento da ventilação (respiração pulmonar). Isso desloca o equilíbrio no sentido de restituição desse dióxido de carbono retirado, reduzindo, com isso, o bicarbonato que é reconvertido em CO2:


Desse forma, o pH alveolar é mais alto, de caráter mais alcalino , comparado ao do microambiente muscular.  É por isso que o sangue arterial tem pH maior do que o sangue venoso.

Em resumo, ventilação e respiração celular interferem no pH do sangue:

Acima, a ventilação retira CO2 e por isso desloca o equilíbrio no sentido de reduzir o bicarbonato, aumentando o pH do meio alveolar. Já a respiração celular produz CO2, deslocando o equilíbrio no sentido de produção de H+ e bicarbonato, reduzindo o pH do meio.  Abaixo, enquanto os alveolos reduzem o CO2 (aumentando  o pH), os outros tecidos produzem CO2 (reduzindo o pH).


Abaixo, a ação da anidrase carbônica da hemácia, tanto produzindo bicarbonato e H+ a partir de CO2 e água (nos tecidos periféricos) quanto liberando CO2 e água a partir de H+ e bicarbonato (nos alvéolos):



A Freqüência respiratória é controlada pelo bulbo

O bulbo, região do tronco encefálico, apresenta  o centro do comando respiratório. Ele percebe a acidose através da ação de prótons sobre quimiorreceptores.  Isso induz  o aumento da frequência respiratória, uma forma de expulsar o dióxido de carbono e deslocar o equilibrio no sentido de redução de prótons. Em alcaloses, ao contrário, a frequência respiratória é reduzida. Assim, o sistema respiratório, sob coordenação do bulbo, participa do controle de pH sanguíneo.

Uma pessoa não pode prender sua respiração por muito tempo pois a acidose ocasionada aumenta o estimulo respiratorio bulbar.  Esse é  o motivo de afogamentos, já que o pH sanguineo diminui ao longo do mergulho, e o bulbo induz a respiração debaixo dagua. Isso justifica que o mergulhador hiperventile antes do mergulho, para aumentar o pH e, com isso, aumentar o tempo de mergulho.

Acima, o bulbo faz parte do sistema nervoso e se encontra entre a ponte e a medula espinhal. Nele se encontra o centro de controle respiratório.

Acima, o aumento de H+ estimula o centro respiratório no bulbo.



Exemplos de acidose e alcalose

Vimos que alcalose se refere a situação em que o pH sanguíneo está acima de 7,45, enquanto  na acidose esse pH está abaixo de 7,35.  

Perceba que um pH sanguíneo 7,25 é uma acidose, apesar de classicamente um pH acima de 7 indica que o meio é alcalino. Isso porque a comparação é com a faixa normal de pH sanguineo, e o pH 7,25 é mais ácido que o pH sanguíneo normal, sendo por isso uma acidose.

 Vamos estudar algumas situações de alteração do pH, sempre considerando que pertubações causam  deslocamentos da reação:

CO2 + H2O↔ H2CO3 ↔HCO3 + H+


1) Criança apresenta uma crise asmática 

A asma é uma doença inflamatória das vias aéreas, que contraem-se  e se enchem de muco na crise asmática.   Como a ventilação é reduzida, o dióxido de carbono aumenta no sangue,levando a uma acidose respiratória, o que induz o centro respiratório bulbar a aumentar a frequencia respiratória. A criança entra então em taquipneia (frequencia respiratória aumentada).


2)Ventilação mecânica intensa demais
O excesso de ventilação reduz o dióxido de carbono, deslocando o equilibrio no sentido de consumo de H+, levando a uma alcalose respiratória.  A pessoa sob essa ventilação exagerada apresentará uma frequencia respiratória reduzida.

3)Hiperventilação no mergulho de apnéia
Um mergulhador hiperventila se preparando para o mergulho sem cilindro (mergulho de apneia), reduzindo assim o dioxido de carbono. A consequente alcalose respiratória leva a redução  estimulo ao bulbo,  que demorará para produzir a urgência respiratória, prolongando o tempo de mergulho.
Gráfico representa o aumento do CO2 ao longo do mergulho de apneia, o que leva ao bulbo produzir  a urgência respiratória, que leva ao afogamento. A hiperventilação aumenta o tempo do mergulho por reduzir os níveis de CO2.  

Sobre os riscos da hiperventilação e mergulho, leia: http://www.bombeiros.com.br/br/esportes/apneia.php

4)Cetoacidose diabética

Na diabetes mellitus tipo 1 não compensada, a oxidação da glicose é reduzida já que essa deixa de entrar nas células por causa da falta de insulina. As células aumentam a oxidação de triglicérides, processo que libera cetonas no sangue, o que contribui com a redução do seu pH, processo chamado cetoacidose diabética. Essa acidose metabólica induz o bulbo a aumentar a frequência respiratória; assim o diabético em cetoacidose apresenta-se taquipneico.

Assim,  existem causas respiratórias (asma) e metabólicas (diabetes) para acidose.




Revisão do controle do pH  sanguíneo

Além do bulbo e pulmão participarem da regulação do pH sanguíneo através de alterações da frequência respiratória, o rim também regula o pH através do reabsorção ou eliminação de H+ e bicarbonato.  Em situações de acidose respiratória, por exemplo, o rim elimina na urina H+ e reabsorve bicarbonato, podendo compensar essa acidose. Já em alcaloses respiratórias, o rim elimina bicarbonato e reabsorve prótons.


A hemoglobina ainda participa do tamponamento do pH, se ligando aos prótons, impedindo que todo H+ liberado na formação de bicarbonato fique livre. Em meios mais  ácidos (como nos tecidos musculares) ela tende a liberar o O2 e captar H+, enquanto que no ambiente alveolar, mais básico, ela capta O2 e libera H+. Essa tendência da hemoglobina favorece a sua função de captar O2 no alvéolo  (onde ela tem maior afinidade por oxigênio) e liberá-lo nos tecidos ( onde a afinidade da hemoglobina pelo oxigênio diminui).


Na figura: enquanto a respiração celular reduz o pH do  sangue, a ventilação aumenta esse pH. A hemoglobina tampona o sangue, reduzindo o impacto essas alterações, já que libera H+ no meio alveolar e capta H+ no meio tecidual.






Questões Comentadas


1)(UNICAMP) Alcalose e acidose são dois distúrbios fisiológicos caracterizados por alterações do pH no sangue: a alcalose corresponde a um aumento enquanto a acidose corresponde a uma diminuição do pH. Estas alterações de pH afetam a eficiência do transporte de oxigênio pelo organismo humano. O gráfico esquemático abaixo mostra a porcentagem de oxigênio transportado pela hemoglobina, em dois pH diferentes em função da pressão do O2 .

a) Em qual dos dois pH há uma maior eficiência no transporte de oxigênio pelo organismo? Justifique.

 b) Em casos clínicos extremos pode-se ministrar solução aquosa de NH4Cl para controlar o pH do sangue. Em qual destes distúrbios (alcalose ou acidose) pode ser aplicado esse recurso? Explique.




2. (UERJ) Um dos equipamentos de segurança de uma cápsula espacial tripulada efetua a remoção do
gás carbônico desse ambiente.
Admita que, após um acidente, esse equipamento tenha deixado de funcionar.
Observe as curvas do gráfico abaixo:
A curva que representa a tendência do que deve ter ocorrido, após o acidente, com o pH sanguíneo dos tripulantes está identificada por:
A) W
B) X
C) Y
D) Z








3(UEL)Considere a equação química a seguir e assinale a alternativa que completa corretamente o texto.

CO2(g) + H2O(l) ⇄ H2CO3(aq) ⇄ H+(aq) + HCO− 3 (aq)


Durante um exercício físico prolongado, quando a respiração aumenta, a concentração de dióxido de carbono diminui e o sangue torna-se mais __________. Por outro lado, numa situação de repouso, a respiração diminui, a concentração de dióxido de carbono aumenta e o sangue torna-se mais __________. O pH sanguíneo é regulado constantemente e seu valor normal está situado entre 7,35 a 7,45, sendo ligeiramente __________. Uma alteração no controle do pH pode alterar o equilíbrio ácido-base produzindo a acidose ou a alcalose. A acidose é quando o sangue apresenta um excesso de ácido, acarretando uma __________ do pH sanguíneo e a alcalose é quando o sangue apresenta um excesso de base, acarretando uma __________ do pH sanguíneo.

a) básico, ácido, básico, redução, elevação.
b) básico, ácido, básico, elevação, redução.
c) ácido, básico, ácido, elevação, redução.
d) ácido, básico, ácido, redução, elevação.
e) neutro, ácido, básico, elevação, redução.




 4) (Fuvest 2004) Na figura, as curvas mostram a variação da quantidade relativa de gás oxigênio (O2) ligado à hemoglobina humana em função da pressão parcial de O2 (PO2), em pH 7,2 e pH 7,4. Por exemplo, a uma PO‚ de 104 mm Hg em pH 7,4, como a encontrada nos pulmões, a hemoglobina está com uma saturação de O2 de cerca de 98%.


a) Qual é o efeito do abaixamento do pH, de 7,4 para 7,2, sobre a capacidade de a hemoglobina se ligar ao gás oxigênio?


b) Qual é a porcentagem de saturação da hemoglobina por O2, em um tecido com alta atividade metabólica, em que a PO2 do sangue é de 14 mm Hg e o pH 7,2, devido à maior concentração de gás carbônico (CO2)?
c) Que processo celular é o principal responsável pelo abaixamento do pH do sangue nos tecidos com alta atividade metabólica?


d) Que efeito benéfico, para as células, tem o pH mais baixo do sangue que banha os tecidos com alta atividade metabólica?


5)(QuimicaUFMG 2001) A hemoglobina, contida nas hemácias, é responsável pelo transporte de oxigênio dos pulmões para os tecidos. Sabe-se que a hemoglobina possui grande afinidade por oxigênio, mas deve ligar-se a ele de um modo reversível. O equilíbrio de oxigenação e desoxigenação da hemoglobina, Hgb, pode ser representado, simplificadamente, pela equação:
A. A hemoglobina torna-se quase totalmente saturada de oxigênio nos pulmões, onde a pressão parcial de oxigênio é de 0,13 atm, e libera parte de seu oxigênio nos tecidos, onde a pressão parcial de oxigênio é de 0,06 atm.
Utilizando a equação de equilíbrio dada, EXPLIQUE como a variação na pressão parcial de oxigênio influencia a oxigenação/desoxigenação da hemoglobina.


B. Outro fator importante na capacidade de transporte de oxigênio pela hemoglobina é a diferença de pH nos pulmões (pH = 7,4) e nos tecidos (pH = 7,2).
Utilizando a equação de equilíbrio dada, EXPLIQUE como a diferença do pH influencia a oxigenação/ desoxigenação da hemoglobina.

C. O monóxido de carbono, CO, dificulta o transporte de oxigênio, podendo causar a morte, porque forma com a hemoglobina a espécie HgbCO , semelhante, porém mais estável que a espécie formada com o oxigênio, HgbO2.
EXPLIQUE como a maior estabilidade da espécie hemoglobina.monóxido de carbono, HgbCO, pode impedir o transporte de oxigênio entre os pulmões e os tecidos.


6)(FATEC) O pH normal do sangue humano varia entre 7,35 e 7,45. Acima de 7,45 ou abaixo de 7,35, o indivíduo passa a apresentar um quadro denominado, respectivamente, alcalose e acidose, conforme a figura a seguir.

04A
Os pontos A e B na figura representam amostras de sangue que foram obtidas, respectivamente da __________I__________. Por sua vez, os pontos C e D representam amostras de sangue de indivíduos que podem estar, respectivamente, ___________II___________.
Os números I e II podem ser substituídos corretamente por:

04B
7)(PUC-MG) O pH do sangue pode ser afetado pela concentração de CO2 de acordo com a figura 1. A afinidade da hemoglobina pelo oxigênio depende tanto da concentração relativa deste gás (PO2) nos pulmões e nos tecidos quanto do pH do sangue, de acordo com o gráfico, na figura 2:
32
Analisando as informações acima de acordo com seus conhecimentos, é correto afirmar, exceto:
a) A eliminação de CO2 nos pulmões tende a alcalinizar o sangue aumentando a afinidade da hemoglobina pelo O2.
b) O aumento da respiração pulmonar decorre do aumento das atividades físicas aeróbias contribui para a manutenção do pH sanguíneo.
c) A alcalinização do sangue favorece a liberação de oxigênio nos tecidos.
d) A liberação de O2 pelas hemácias pode ser influenciada pela redução da concentração de oxigênio (PO2) nos tecidos.



8)(UERJ) O CO2 produzido pelo metabolismo dos tecidos  é,  em  grande  parte,  transportado  no  sangue sob a forma de bicarbonato e de ácido carbônico. Em condições  normais,  tais  compostos  encontram-se  na seguinte proporção:
Esse  sistema  de  transporte,  cuja  parte  alcalina corresponde  ao  HCO3−  e  a  parte  ácida  ao  H2CO3, constitui o principal mecanismo de manutenção do pH do sangue em 7,4. Algumas situações, como prender a respiração por tempo prolongado, podem alterar a taxa normal desses dois  compostos  no  plasma,  conforme  se  observa  no gráfico abaixo:

Indique a alteração observada no pH do sangue quando a respiração é suspensa por tempo prolongado. Justifique sua resposta, utilizando as informações do gráfico.

9)Recentemente, a Federação Internacional das Associações de Futebol (FIFA) vetou a realização de partidas de futebol em cidades situadas numa altitude superior a 2750 m, a não ser que os jogadores sejam submetidos, previamente, a um período de aclimatação. Analise este quadro, em que se apresenta a pressão parcial alveolar do gás oxigênio, pO2 , dos seres humanos em diferentes altitudes e pressões barométricas:

1. O equilíbrio de oxigenação e desoxigenação da hemoglobina, Hgb, pode ser representado, simplificadamente, pela equação
 Considerando esse equilíbrio e as informações contidas no gráfico da página anterior, EXPLIQUE as diferenças observadas nas curvas de saturação da hemoglobina em diferentes valores de pH.
A) CITE dois sintomas que jogadores de futebol, sem prévia aclimatação, podem apresentar em jogos realizados em locais situados em altitude elevada. JUSTIFIQUE sua resposta. 



4. Sabe-se que a cidade de Potosi se localiza numa altitude de 4 286 m. CALCULE a variação percentual relativa, nessa cidade, da saturação da oxiemoglobina entre o pH 7,6 e o pH 7,2. (Deixe seus cálculos indicados, explicitando, assim, seu raciocínio.)

5. A) CITE dois sintomas que jogadores de futebol, sem prévia aclimatação, podem apresentar em jogos realizados em locais situados em altitude elevada. JUSTIFIQUE sua resposta
B) No nível do mar, ocorre situação diversa: se não estiverem usando equipamento apropriado, os mergulhadores devem respirar vigorosamente, por algum tempo, antes de submergir. EXPLIQUE, do ponto de vista biológico, o objetivo desse procedimento 


Respostas e comentários

1. a) A maior eficiência na absorção do oxigênio é no pH = 7,6 pois a curva que representa o processo é mais inclinada do que em pH = 7,2. ou A maior eficiência é no pH = 7,6 pois em qualquer ponto desta curva o percentual de O2 é maior do que no ponto correspondente da curva em pH = 7,2. (2 pontos) b) Na alcalose pois NH4 + + OH– = NH4OH ou NH4 + = NH3 + H+ H+ + OH– = H2O
ou NH4 + + H2O = NH3 + H3O+ H3O+ + OH– = 2 H2O Com isto a concentração de OH– diminui no sangue. ou ainda, Na alcalose, pois o NH4Cl se hidrolisa em meio aquoso deixando a solução ácida de modo que o pH da solução abaixa.

2.O gás carbônico é um óxido ácido, que reage com água formando o ácido carbônico. Dessa forma, o acúmulo de gás carbônico no sangue promove uma redução do pH sanguíneo, o que caracteriza a acidose respiratória.
Dentre as curvas representadas pelo gráfico, a única que apresenta redução do pH é a curva Z.
Resp.: D



 3.Alternativa correta: a.
Justificativa Durante um exercício físico prolongado, quando a respiração aumenta, a concentração de dióxido de carbono diminui e o sangue torna-se mais básico (pois houve um deslocamento no sentido dos reagentes). Por outro lado, numa situação de repouso, a respiração diminui, a concentração de dióxido de carbono aumenta e o sangue torna-se mais ácido (pois o equilíbrio é deslocado no sentido dos produtos). O pH sanguíneo é regulado constantemente e seu valor normal está situado entre 7,35 e 7,45, sendo ligeiramente básico (pois o pH acima de 7 é básico). Uma alteração no controle do pH pode alterar o equilíbrio ácido-base produzindo a acidose ou a alcalose. A acidose é quando o sangue apresenta um excesso de ácido, acarretando uma redução (pois quanto mais ácido o meio, menor o valor do pH). do pH sanguíneo e a alcalose é quando o sangue apresenta um excesso de base, acarretando uma elevação (pois quanto mais básico o meio maior o pH) do pH sanguíneo


4.
a) O abaixamento do pH para 7,2 diminui a saturação da oxiemoglobina, isto é, o sangue passa a ceder mais oxigênio aos tecidos.
b) Cerca de 10%.
 c) A respiração celular libera CO2 , que ocasiona a queda do pH sangüíneo.
d) O pH mais baixo do sangue facilita a liberação maisrápida de O2 aos tecidos celulares


 5.A) O aumento da pressão parcial de oxigênio desloca o equilibrio no sentido de oxigenação da hemoglobina nos alvéolos, já a redução da pO2 desloca o equilíbrio no sentido da desoxigenação.
 B) O aumento do pH no ambiente alveolar, por conta da menor concentração de H+, levai deslocamento do equilíbrio no sentido de formação de H+ e da forma oxigenada da hemoglobina.  Já a redução do pH nos outros tecidos desloca o equilíbrio no sentido de formação de hemoglobina desoxigenada.
C) A alta estabilidade da HgbCO impede a liberação de Hgb para formação da hemoglobina oxidada.


6.Resposta: C     Comentários da questão:

6.1. Revisão de circulação dupla completa

Considere a escala oferecida:
04A

Levando em conta a figura ao lado, o sangue é oxigenado nos alvéolos (1), onde se torna também mais alcalino (pH entre 7,4 e 7,45, B na escala), pela redução de dióxido de carbono ( que é ácido).  Esse sangue arterial é transportado pela veia pulmonar (3) ao coração, que é ejetado a artéria aorta para os outros tecidos (4) e artéria carótida para o cérebro (não representada).  Assim, a  veia pulmonar e as artérias aorta e carótida apresentam sangue arterial, que é mais alcalino (B, na escala).
Em 6, a pCO2 aumenta e, consequentemente, o pH do sangue diminui. Assim a veia cava (9), transporta sangue venoso  para o coração direito, que o ejeta para a artéria pulmonar, que o transporta para os pulmões onde ocorre a hematose.  Veia cava e artéria pulmonar tem sangue mais ácido, venoso, como em A na escala.

Ao prender a respiração, a pCO2 aumenta, reduzindo o pH, levando a uma acidose respiratória (C). Essa redução do pH leva ao bulbo aumentar o estimulo para a respiração, o que torna impossivel para  o individuo manter a respiração presa voluntariamente. Essa é, inclusive, a causa de afogamentos, já que o bulbo induz a respiração de baixo dagua.

A hiperventilação, ao contrário, reduz a pCO2, aumentando o pH, levando a uma alcalose respiratória (D).


6.2. Resolvendo a questão



Considerando a escala abaixo e as opções:

.04A
 04B
Na escala, "A" apresenta sangue venoso, por ser mais ácido que "B", pela maior pCO2. Das opções, A pode ser artéria pulmonar, veia cava (inferior ou superior).  Exclui-se, assim, a opção e). As opções agora são:

E "B", que contem sangue arterial, pode ser representado pela artéria aorta, veia pulmonar e artéria carótida.  Excluimos, então, a letra a) das opções.

A acidose que ocorre em C é ocasionada por se prender a respiração ( o que aumenta o CO2 do sangue) , excluindo as letras b) e d), o que nos faz concluir que a letra correta é c). A hiperventilação causa alcalose (D na escala), por redução do CO2,o que confirma a letra c:


7) C.  (Já discutido nas questões 4 e 5)
8) Diminuição do pH.  Embora a parte alcalina do sistema aumente, a parte ácida cresce em proporção maior.

9)(Fonte das respostas de 9: Al-Kimiya, exceto item 6.)
1.
 2.
 3.(X) Aumenta
 4. % = 90% - 75% = 15%
5)
6)A hiperventilação leva a alcalose, que reduz o estimulo do bulbo a respiração, aumentando, com isso, o tempo de mergulho.


PDF para impressão:

O que você quer ver no blog da Sala BioQuímica?